terça-feira, 1 de março de 2011

Se não cuidar, o sertão vai virar fumaça nos cigarros de maconha e cachimbos do crack

Uma cena chamou atenção deste blogueiro num fim de tarde de segunda-feira, numa esquina da gigante Fortaleza. Dois servidores de uma empresa de telefonia matavam tempo, abrigados à sombra de um frondoso jambeiro, dentro do carro da empresa. Enquanto o tempo teimava em não passar, acredite caro leitor, os dois dividiam um cigarro: de maconha. O cheiro forte se espalhava pela rua. É triste ver que a "naturalidade" das drogas não considera nem mais a linha que divide a "diversão" da responsabilidade do trabalho.

Novos deputados cearenses estão encampando discussões sobre formas de enfrentamento a este poderoso inimigo. Roberto Mesquita (PV) propôs criação de um fundo governamental para financiar ações de combate a entorpecentes. Já decano no parlamento, como ele mesmo diz, Fernando Hugo (PSDB) quer que seja implantada uma comissão permanente de inquérito sobre o tráfico de drogas.

Aos projetos, proposta muito interessante será juntada pela jovem deputada Fernanda Pessoa (PR). Fernanda propôs que 5% da publicidade institucional do Governo do Estado sejam destinados a campanhas educativas contra as drogas líticas e ilícitas. A deputada argumenta que a comunicação pública deve se aliar na definição de políticas públicas para o enfrentamento do que ela classifica de epidemia.

Falta alguém propor ações para frear a propagação da epidemia no interior do Brasil. As drogas, tal qual um dragão voraz, está destruindo a juventude e famílias rurais. A bila, o pião, até mesmo a peteca e bonecas estão sendo substituídos a passos largos pelos cigarros, e pelos cachimbos de crack, principalmente. O sertanejo também precisa de atenção, e por sua vulnerabilidade, de medidas ainda mais urgentes para não ter suas vidas destruídas pelas drogas.

2 comentários:

Ministério da saúde disse...

Olá blogueiro,
O consumo de crack aumentou e é preciso a união de todos no combate contra a droga. O crack traz malefícios ao usuário, família e sociedade e atinge a todos independentemente do sexo, cor e classe social.
Divulgue mais informações sobre o crack: http://bit.ly/bDGqGz
Conheça os CAPS que estão espalhados em vários lugares do país para prestar auxílio aos dependentes: http://migre.me/2qkFl
Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude
Mais informações: comunicacao@saude.gov.br
Obrigado,
Ministério da Saúde

Sapipa disse...

Uma matéria que deve ser divulgada pois o caso é muito sério e, é preciso políticas publicas intensas para no mínimo minimizar esse vício terrível.

Pesquisa personalizada
Todos os direitos reservados