terça-feira, 11 de maio de 2010

Deputados querem assistir a Copa em casa

Quando as seleções da África do Sul e do México entrarem em campo para o jogo inaugural da Copa do Mundo, em 11 de junho, a maioria dos trabalhadores não poderá acompanhar a partida. Afinal, será uma sexta-feira, às 11h. Mas os deputados federais devem ganhar folga a partir do dia 10 para conferir o principal torneio do futebol mundial.

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), anunciou ontem que levará ao colégio de líderes a ideia de antecipar o recesso da Casa, que só teria início em 18 de julho, para a agenda de trabalhos legislativos não se chocarem com a Copa. “A partir do dia 10 não vai ter ninguém mais na Câmara, porque vai ter Copa”, aposta o líder.

Segundo Vaccarezza, a proposta é correr para votar a Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2011 até a primeira semana de junho, para deixar os deputados livres até o primeiro turno das eleições, em 3 de outubro. “A partir de 10 de junho, ninguém vai fazer com que os deputados venham aqui votar. A proposta que eu vou fazer no colégio de líderes é que a gente vote a LDO até esta data. Votada a LDO, nós vamos funcionar com esforço concentrado”, explica Vaccarezza. Em 2006, quando a Copa foi disputada entre 9 de junho e 9 de julho, os deputados não anteciparam o recesso. As faltas eram comuns.

Os impasses entre governo e oposição durante discussão de projetos na Casa não se repetem quando o assunto é a folga antecipada. A oposição apoia a sugestão de Vaccarezza. O líder do PSDB, João Almeida (PSDB-BA), disse que a proposta de se votar a LDO até 10 de junho vem sendo discutida nos corredores da Câmara. “Estou de acordo. A LDO é fundamental para a elaboração do Orçamento, não é disputa eleitoral, temos que dar uma sequência à LDO e não mentir a realidade.

As convenções se realizam entre 3 e 30 de junho e os deputados ou vão ser candidatos ou terão alguma função de agente público. Vai haver um acordo. Não dá para mentir, tem eleição”, disse. Os deputados não podem entrar de recesso se a LDO não for votada até 30 de junho.

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada
Todos os direitos reservados