quinta-feira, 13 de maio de 2010

Pesquisas apontam envenenamento de água da Chapada do Apodi

Cerca de 600 pessoas participaram na tarde desta quarta-feira (12) de Audiência Pública em Limoeiro do Norte para debater o uso de agrotóxicos e a pulverização aérea nas plantações dos perímetros irrigados da Chapada do Apodi.

A Audiência aconteceu após a repercussão do assassinato do líder ambientalista José Maria Filho, conhecido popularmente como Zé Maria do Tomé, um dos principais defensores do fim da utilização de defensivos agrícolas na região. A reunião aconteceu no auditório da Faculdade de Filosofia Dom Aureliano Matos, com a participação de representantes de diversas instituições; Ibama, Semace, Crea, Ministério da Agricultura, Assembleia Legislativa, Incra, OAB, Ministério Público, Igrejas, partidos políticos, associações etc.

A discussão foi aberta com exposição do advogado e ambientalista (vereador de Fortaleza) João Alfredo sobre a constitucionalidade da lei que proibia a pulverização aérea de agrotóxicos, seguidos por vários oradores, dentre eles representantes de empresas que utilizam aviões nas aplicações de venenos agrícolas. O ponto alto do debate foi durante a fala da médica pesquisadora da UFC Raquel Rigotto, autora de pesquisa sobre os impactos causados à saúde dos moradores da região e ao meio ambiente devido à utilização dos produtos tóxicos.

A pesquisadora ilustrou sua fala com a apresentação de dados de pesquisa da Cogerh que mostram a contaminação do aquífero Jandaíra, o segundo maior do Nordeste, se estendendo desde o Jaguaribe até próximo ao litoral do Rio Grande do Norte. Outro dado assustador dá conta de uma consulta da própria médica que encontrou veneno em 100 % de mostras de águas coletadas em diversos pontos, sugerindo para uma contaminação generalizada dos recursos hídricos de toda a região. Raquel destacou que apesar da situação “não estava ali para criticar, mas para reconhecer um contexto de vulnerabilidade carente de políticas públicas que venham a combater o problema”.

Homenagens ao ambientalista José Maria Filho ocorreram desde o início da tarde, durante passeata pela cidade. Notas e monções públicas também foram apresentadas durante a audiência pública. A reunião foi marcada ainda por manifestações da plateia, que empunhou gritos de guerra contra os agrotóxicos e em homenagem a Zé Maria do Tomé.

A Audiência foi solicitada pelo vereador Heraldo de Holanda (PR) após o prefeito João Dilmar da Silva (PRB) decretar lei autorizando a pulverização por meio de aeronaves no município, invalidando lei anterior que proibia a prática, sugerida pelo próprio vereador republicano em 2009. O Prefeito não compareceu à reunião e foi representado por seu vice.

Jorge Macedo Costa

Nenhum comentário:

Pesquisa personalizada
Todos os direitos reservados