quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Papai Noel grego passa por Crateús e Floriano (PI)

A Brasil Ecodiesel decidiu desativar duas unidades localizadas no Nordeste brasileiro, devido a problemas relacionados à obtenção de matéria-prima, informou nesta terça-feira a empresa em comunicado.

"Alinhada com a diretiva estratégica de melhor uso dos ativos ociosos, (a empresa) decidiu desativar as suas unidades produtoras de biodiesel localizadas nos municípios de Crateús (CE) e Floriano (PI)...", informou uma nota. O objetivo da medida é aproveitar as instalações industriais dessas unidades para a ampliação e/ou realocação da capacidade produtiva da empresa, "levando-se em conta a logística de matéria-prima e do mercado consumidor".

A principal matéria-prima para a produção de biodiesel no Brasil é a soja, cuja oferta está apertada nesta estressafra depois de o país exportar um volume recorde da oleaginosa em 2009, em meio à forte demanda da China. A próxima safra de soja (2009/10) só começa a chegar ao mercado no começo do ano que vem. De acordo com a empresa, a "dificuldade logística incontornável de obtenção de matérias-primas" na região afetou a competitividade daquelas usinas nos leilões organizados pela ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis).

A companhia ressaltou, entretanto, que "a perda da capacidade das unidades inoperantes não altera o planejamento da produção e vendas da companhia no curto e médio prazo".
A empresa afirmou que, na medida do possível, buscará realocar os trabalhadores das unidades desativadas para as plantas de Iraquara (BA), Itaqui (MA) e Porto Nacional (TO).

Desde o ano passado, a Brasil Ecodiesel iniciou uma reestruturação que incluiu redução de dívidas e despesas financeiras, registrando no segundo trimestre de 2009 o primeiro lucro trimestral desde 2006. Àquela época, a empresa utilizava pouco mais de 10 por cento de sua capacidade produtiva. A produção de biodiesel no Brasil deve ser impulsionada no próximo ano com o aumento da mistura para 5 por cento no diesel.

Do G1 com a Reuters

Um comentário:

Marta Victor disse...

maravilhoso blog!
vou segui-lo

Pesquisa personalizada
Todos os direitos reservados